Rua Emílio de Menezes, 905 | Bom Retiro | Curitiba | PR | Temos estacionamento próprio | [ Ver mapa ] | 41 3012-2800

Câncer de próstata pode ser tratado pela radioterapia

Tumor precisa ser identificado e tratado precocemente para permitir ao paciente a plena retomada da qualidade de vida

Aumenta a incidência do câncer de próstata. Estima-se que mais de 400 mil brasileiros entre 45 e 60 anos sejam portadores da doença e não saibam disto. Por preconceito deixam de realizar o toque retal ou temem recorrer ao médico diante de um diagnóstico positivo. A doença constitui-se em um dos grandes problemas de saúde pública no país, pois não atinge somente pessoas idosas, como se pensava.

Portadores de menor faixa etária, a partir de 40 a 45 anos, também são vítimas frequentes, quando ainda estão em plena capacidade produtiva e não apresentam outras doenças. Sem o tratamento no tempo certo, o tumor evolui na sua forma mais agressiva e letal, provocando risco iminente da perda da qualidade de vida e reduzindo as chances de tratamento.

A boa notícia é que a medicina avançou e já permite curar o câncer de próstata sem necessidade de cirurgia e demais procedimentos agressivos, que trazem como sequelas a incontinência urinária e a infertilidade.

As diferentes modalidades de radioterapia estão entre os aliados importantes da medicina no combate ao câncer. Quando bem empregada, por especialistas habilitados, ela cura o câncer de próstata e, de forma associada a outros tratamentos, outras formas de tumores até então apresentam elevado índice de letalidade.

A contribuição de tais avanços é de extrema importância, de acordo com a equipe do Instituto Radion de Oncologia e Radioterapia de Curitiba. É inegável, advertem, que a prevenção é o melhor remédio. Hábitos de vida saudáveis, dietas ricas em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais e com menor teor de gordura (especialmente as de origem animal), reduzem os riscos.